Deprecated: implode(): Passing glue string after array is deprecated. Swap the parameters in C:\xampp\htdocs\fabriciolima\wp-content\plugins\crayon-syntax-highlighter\util\crayon_util.class.php on line 73
OFF-TOPIC – 7 dicas para enviar seu currículo e concorrer a uma vaga de emprego – Fabricio Lima | Consultoria e Treinamento SQL Server
Loading…

OFF-TOPIC – 7 dicas para enviar seu currículo e concorrer a uma vaga de emprego

Fala Pessoal,

No início de 2019, pela primeira vez, o #TeamFabrícioLima abriu uma vaga de DBA para que qualquer pessoa que tivesse interessada pudesse participar. Foram mais de 100 currículos recebidos e é essa experiência que quero compartilhar com vocês nesse post.

Para quem não viu o post da vaga, segue:

https://www.fabriciolima.net/blog/2019/01/02/estamos-crescendo-venha-fazer-parte-do-teamfabriciolima/

No dia da divulgação da vaga eu tomei um baita de um susto!

Foi lançar a vaga e o whatsapp começou a bombar na hora de mensagens no privado, também recebi várias pelo LinkedIn, Facebook, Instagram e E-Mail.

Por um lado eu fiquei muito feliz de ver um monte de gente interessada em vir trabalhar conosco, mas por outro lado, recebia várias perguntas de informações que estavam no post da vaga que divulguei. Responder uma pergunta repetida assim é de boa, mas dezenas não é legal.

Desse problema vem a primeira dica.

1 – Leia atentamente a divulgação da vaga

A vaga divulgada deixava muito claro que era uma vaga de Home Office e mesmo assim recebi dezenas de mensagens de pessoas perguntando se era presencial ou remoto. Sério… Dezenas…

Um dos critérios de seleção poderia ser: Será que o candidato lê atentamente uma solicitação para atender um chamado? Essa galera aí já seria reprovada.

Não fiz isso…. Mas deu vontade… =)

Dessa forma, ler atentamente uma descrição de uma vaga e fazer exatamente o que foi pedido para se submeter a essa vaga já pode começar a contar pontos para você.

Pedi para enviarem os currículos por e-mail e recebia currículos pelo Skype e Whatsapp. Se a empresa pede pelo e-mail, manda por lá galera. 😉

Já vi vaga de emprego que manda você enviar um e-mail com um determinado código no assunto por exemplo. Para vagas com muitas inscrições, se não manda isso corretamente, seu currículo pode nem ser analisado.

Então fica a dica!

Na vaga também estava escrito para enviar a pretensão salarial junto com o currículo. Acho que nem metade dos candidatos enviou essa requisição. Contudo, essa é polêmica e vamos deixar para comentar na próxima dica.

2 – Devo enviar ou não minha pretensão salarial para uma vaga?

Esse tema é polêmico.

Visão que muito candidato tem da empresa: Eles querem pedir isso para escolher o candidato mais barato.

Visão que algumas empresas tem para pedir isso (não posso falar por todas): Preciso dessa informação para saber qual é a expectativa do candidato para vir motivado trabalhar conosco.

É óbvio que toda empresa quer o candidato com o maior conhecimento possível e com o menor valor possível, afinal elas vivem de lucros! Seria a medalha de ouro do RH achar um cara assim.

Mas, porém, entretanto, todavia, já dizia o sábio:  Bom, Bonito e Barato não existe!

Muitas pessoas me perguntaram qual era o valor da vaga e minha resposta era: Não tenho um valor definido. Posso contratar um Júnior por um valor X ou posso mudar e contratar um Pleno que gostei mais por um valor X+Y.

Eu tinha o poder de mudar o valor da vaga de acordo com o conhecimento e experiência dos candidatos que aparecessem. Um pouco diferente de algumas empresas que já tem um orçamento certo para uma determinada vaga. Cada caso é um caso.

Vivendo esse lado da empresa, hoje se eu fosse me candidatar a uma vaga que pede pretensão salarial, eu enviaria.

Pretensão salarial seria  qual o valor que te motivaria  a trocar de emprego ou a iniciar em um novo, caso esteja parado. Se esse valor não for aceitável para essa empresa, pode ser para outra. Segue a vida e continua correndo atrás.

Minha experiência como empresa:

Recebi currículos de pessoas querendo trabalhar de graça para aprender… Pessoas querendo trabalhar como estágio ou Trainee… Pessoas que tinham a pretensão salarial baixa (sem experiência)… Pessoas me pedindo para analisar o currículo e mandar uma proposta para elas… Pessoas com uma pretensão salarial de sênior… Etc…

Quem mandava a pretensão salarial ajudava demais no trabalho de análise. Ponto para eles!

Eu criei 3 pastas (Junior/Pleno/Sênior) e fui separando os currículos. Quem não mandava eu tinha que abrir o currículo e classificar nessas categorias de acordo com o que eu achava que essas pessoas eram.

Minha vaga era para achar um Júnior que poderia até chegar a um pleno dependendo dos candidatos. A galera Sênior que enviou, deixei em uma pasta para futuras oportunidades que possam ser abertas (sem problema nenhum ter feito isso).

Resumindo: Se a vaga pede, minha dica é que mande o valor que te motivaria a sair de onde está e entrar nesse novo desafio. O importante é ir motivado. Se a empresa não concordar com sua pretensão salarial, paciência! Vejo muita vaga rolando nas redes sociais. Parte para outra.

3 – Formatação do Currículo

Recebi alguns currículos bem bacanas no quesito formatação, outros com muita informação que dificultava a análise.

A maioria dos currículos era em Word, outros eram em PDF, Recebi links do Linkedin como currículo, recebi links para abrir o currículo no google docs e também recebi currículos escritos no corpo do e-mail.

De todas essas opções eu escolheria mandar via PDF que fica mais formal e a pessoa pode salvar em uma pasta para análise.

Cuidado com muita informação no currículo.

Eu estava procurando pessoas com conhecimentos em Banco de Dados SQL Server.

Então eu ficava procurando no currículo onde a pessoa escrevia que tinha conhecimento nesse assunto,  se a pessoa tinha alguma certificação na área ou se tinha alguma experiência em empresas anteriores com o assunto.

Você mostrando essas informações que estão aderentes a vaga de forma clara e fácil, facilita muito a vida de quem está analisando o seu currículo e causa uma boa impressão.

Experiências que não são relacionadas a vaga, pode colocar de forma resumida só para sabermos onde e quanto tempo trabalhou e um resumo do que fazia.

Ex: Estou enviando currículo para uma vaga de DBA SQL Server, mas trabalhei 10 anos como Médico fazendo as atividades X, Y, Z, … (15 linhas de atividades)… Isso só enche o currículo com informação que não será relevante para essa vaga que quer se candidatar.

4 – Aprenda a vender melhor o seu Peixe

A vaga é para DBA SQL Server, então se você trabalhou com atividades de um DBA, detalhe isso no seu currículo. Venda seu Peixe!

Recebi vários currículos com a descrição: X anos de experiência em banco de dados SQL Server

Mas qual experiência teve? Rodando Scripts? Instalando? Fazendo relatório de BI? Usando nos sistemas que você desenvolveu ou deu suporte?

A vaga era de DBA SQL Server, então se você detalhasse que tem experiência na instalação de SQL Server, no gerenciamento de acessos, em realizar backup e restore, que já fez muito tuning em queries, que já monitorou X instâncias SQL Server ou relizou projetos de cluster/mirror/AG/Replicação, certamente isso me chamaria mais atenção e não deixaria seu currículo passar.

Recebi muitos currículos de DEV que escreviam experiência com SQL Server, mas como não detalhavam as atividades, eu Fabrício imaginava que eram experiência com scripts para usar nos sistemas, não experiência como DBA, que era o que eu buscava.

Ou seja, posso ter eliminado alguns currículos que a pessoa tinha esses conhecimentos, mas não soube expressar no currículo.

5 – Não atire para todos os lados

Recebi muitos currículos que não achei nada relacionado a banco de dados. Muita gente querendo fazer migração para essa área ou até atirando para todos os lados.

Não acho isso muito ruim se for para uma vaga de iniciante e você der a sorte de ter poucos candidatos.

Contudo, com uma vaga onde recebemos mais de 100 currículos, certamente vai ter gente com conhecimento na área, então sua chance de ser selecionado para uma segunda fase do processo seletivo é bem pequena.

Fabrício, esse é o meu caso, o que posso fazer para melhorar minha visibilidade para uma vaga dessa?

Ao invés de sair atirando para todos os lados, escolha um ou dois lados e siga a dica número 7 aguardando uma vaga nessa área que escolheu atirar.

6 – Networking é uma qualidade muito importante

Se participa de reuniões ou eventos da sua região, descreva isso.

Recebi alguns currículos de pessoas descrevendo que participaram de vários SQL Saturdays e outros eventos pelo Brasil.

Eu batia o olho neles e falava: Opa, essa pessoa corre atrás para aprender. Ponto para ela!

Procure quais eventos existem na sua região, participe e deixe o RH saber que você é o tipo de pessoa que participa desses eventos e corre atrás a cada dia para se qualificar.

7 – Faça cursos e certificações na área que está se candidatando

Se você já trabalha na área que está se candidatando a uma vaga, show! Já está muito bem encaminhado a passar para as próximas fases e demonstrar o quanto conhece sobre um determinado assunto.

Mas Fabrício, e quem não está trabalhando na área e quer fazer uma transição de carreira? O que faz para concorrer a uma vaga dessa?

Se não tem experiência em uma determinada área, é bem provável que sua primeira vaga nessa área seja para iniciante.

Para chamar a atenção em um processo seletivo desse, como ainda não tem experiência, cursos e certificações vão te ajudar a se diferenciar de muitos currículos.

Como falei, recebi currículos que não falavam em nenhum momento sobre Administração de Banco de Dados SQL Server. Pessoas de infra, DEV e outras áreas querendo uma chance de migrar de área e mudar de carreira.

Como tinha um número grande de candidatos tentando essa vaga, acabou que essa galera não foi para a próxima etapa do processo seletivo.

Currículos sem experiência mas que tinham cursos relacionado a Administração de BD SQL Server já mostravam que a pessoa em algum momento correu atrás de aprender sobre esse assunto.

Se o currículo tivesse uma certificação então, esse já mostra que “teoricamente” essa pessoa parou em algum momento da sua vida, se dedicou a estudar sobre o assunto que está sendo cobrado na vaga e passou em uma prova de certificação que atesta que essa pessoa tem um mínimo de um conhecimento no tema.

Temos alguns casos especiais como por exemplo uma certificação de SCRUM e DEVOPS que virou uma febre no LinkedIn de tão rápido que se espalhou. Não tem problema em fazer uma prova dessa, mas lembre que vocês vão ser entrevistados, então estejam preparados para responder questões desses assuntos. Caso contrário, pode queimar o seu filme se você fingir que conhece bem do assunto e no final não sabe muita coisa.

Fabrício, então se eu tiver uma certificação vou ser aprovado para uma vaga de emprego?

Quem dera se fosse fácil assim.

A certificação vai te ajudar em um processo seletivo com muitos candidatos como esse, a ser selecionado para uma próxima etapa para poder mostrar o que realmente você sabe nas provas e entrevistas.

Na prova e entrevista é onde a empresa verifica o conhecimento que adquiriu estudando para essa certificação. Não seria nada absurdo ter uma pessoa sem certificação que se sairia melhor que você em uma prova e entrevista.

Resumindo: Fabrício, ainda vale a pena fazer certificação?

Resposta: Sim. Vale! Ela, além de te forçar a estudar durante um período, pode te ajudar a não ser descartado de uma vaga logo na primeira fase e te dar a possibilidade de mostrar seus conhecimentos e conseguir essa mudança de emprego que está almejando.

Certificação é inclusive um dos itens que o Edvaldo Castro colocou em um post que fez sobre carreira.

Vale muito a leitura para repensar algumas coisas na sua carreira:

https://edvaldocastro.com/minha-visao-sobre-carreira/

 

É isso aí pessoal.

Essa é minha opinião sobre o assunto. A de vocês pode ser diferente.

Não sei se foi mais um artigo blá blá blá igual temos vários outros por aí no google, ou se consegui realmente ajudar alguém com essas dicas que postei aqui.

Já tinha feito seleção quando era coordenador de uma empresa, mas lá o RH já chegava com umas 5 pessoas já pré-selecionadas.

Dessa vez foi bem diferente. Recebi mais de 100 currículos e eu tive que fazer tudo. Por isso vim aqui compartilhar essa experiência com vocês.

Uma coisa é certa: Respondi a TODOS os mais de 100 currículos que recebi. Era o mínimo que tinha que fazer diante da galera que queria vir trabalhar conosco.

Não passou em uma vaga???

Continue evoluindo que temos muitas vagas rolando por aí. O problema é que quando elas aparecem, nós ainda não estamos preparados.

Então, a dica final é: Se prepare para quando a oportunidade bater na sua porta!!!

Gostou desse Post?

Curta, comente, compartilhe…

Assine meu canal no Youtube , curta minha página no Facebook  ou siga nossa página no Instagram para receber Dicas de Leituras, Vídeos e Eventos sobre SQL Server.

Até o próximo post.

Abraços,

Fabrício Lima

Microsoft Data Platform MVP

Consultor e Instrutor SQL Server

Trabalha com SQL Server desde 2006

6 thoughts on “OFF-TOPIC – 7 dicas para enviar seu currículo e concorrer a uma vaga de emprego

  1. Excelente post, mandei meu curriculo e recebi a resposta via e-mail, isso para mim já faz uma enorme diferença, pois já me candidatei em varias vagas e até hoje não recebi um retorno.
    Por esse motivo, que me faz ter um maior interesse de participar da proxima oportunidade que aparecer na sua consultoria.

    Um grande abraço.

  2. Muito boas suas dicas, Fabrício.
    Fico muito feliz em acompanhar o crescimento da sua empresa, isso apenas reflete a qualidade e comprometimento que vocês tem com os clientes, e colaboradores.

    Muito obrigado pela menção, e espero que vocês continuem crescendo cada dia mais.

    Quem sabe um dia eu consiga ser repatriado pela Fabrício Lima Soluções em Bancos de Dados.

    Grande Abraço,

    Edvaldo Castro

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: